• (11) 3105-1592 | (11) 94351-2069

PROJETOS MISSIONÁRIOS

Confira os campos missionários da Junta de Missões

Índia e Nepal

A IAP na Índia foi fundada em 9 de agosto de 2014 em um culto com 40 pessoas, resultado do trabalho que já vinha sendo feito pelos missionários Márcio e Karen Joansen desde 2007.

Eles ficaram os primeiros dois anos se ambientando, se adaptando à cultura, ao idioma e conhecendo as pessoas. Em 2009 conheceram o jovem Ananto que, mas tarde foi discipulado por eles e passou a ser um promessista convicto e o é até hoje. Atualmente o pastor Ananto é o responsável pelo rebanho na índia.

Em fevereiro de 2016 acontece o primeiro contato dos missionários Márcio Joansen e Karen Joansen com irmãos no Nepal, na cidade de Devghat. O cuidado com os irmãos no Nepal está no coração do irmão Ravi. Ele aguarda apenas a abertura das fronteiras para viajar para o Nepal e cuidar do rebanho que Deus já colocou no coração dele. São pastores e diaconisas que servem a Deus e ajudam a propagar o evangelho de Jesus Cristo, mesmo em meio a perseguição e inúmeras outras dificuldades, inclusive a financeira.

Na Índia também aconteceu o Projeto Plantando Esperança. Foram cinco anos de atividades. Os missionários começaram em 2013. A Junta de Missões assumiu o projeto um ano depois, em 2013. Na época chegou a atender cerca de 400 crianças com material escolar e alfabetização. O índice de analfabetismo na Índia é alto e um projeto como este tem o potencial de mudar a realidade de muitas crianças. No entanto, segundo informações do Missionário Márcio, em 2016 intensificou-se o conflito entre hindus e muçulmanos na região e por essa razão os projeto teve que ser interrompido. A comunidade local temia pela segurança de todos, inclusive dos missionários. Nessa mesma época, havia aberto uma escola pública próxima ao vilarejo, e como as crianças já estavam alfabetizadas, houve um acordo com os pais que incluía o pagamos da matrícula, uniformes e material escolar das crianças – apesar de ser pública é assim que funciona – e eles ficaram responsáveis por dar continuidade aos estudos das crianças. E assim foi feito. Em 2017 houve a transferência para a escola local. Apesar dessa interrupção, “temos a plena certeza de que o que fizemos não foi em vão”, a firma o missionário Márcio Joansen.


CAMPOS MISSIONÁRIOS ÁSIA